Poezi nga Arjola Zadrima

Poezi nga Arjola Zadrima   *** Gzue qytetit tem, Shkodërloce, këtyne rrugëve boshe, kalldrëm, pa zhurmë njerëzish. Gzue këtyne dritareve vezulluese që fikun e ndezin shpresa gzue shqiptarëve që çdo ditë ikin tue lanë të brymun shtëpinë, ku ngjitet harresa … Continue reading

O MOVIMENTO CIRCULAR DO TEMPO / Poema de Valda Fogaça

Poema de Valda Fogaça

 

O MOVIMENTO CIRCULAR DO TEMPO

Posso sentir o suspiro final do Outono,
Das folhas caídas, e a agonia de sua queda.

Esse fenômeno ocorre no preparo das árvores
Para esperar a próxima estação que, coberta
De friagem chega soprando geladamente e
Retorcendo galhos desnudos de árvores esqueléticas.

O vento gelado passa dando passagem a uma
Nova estação que chega perfumando, embelezando
E vestindo as árvores outrora desalentadas e nuas;
É a Primavera, a estação do encanto, do renovo.

Ah! Essas borboletas, as abelhas num bailar constante
Não se cansam, alinhavam, costuram de uma flor a outra
E assim o espetáculo do Tempo conclui-se com o
Amadurecer dos frutos, fonte de alimento para os pássaros.

Só para os pássaros? Finalmente, o Verão, empurrando
Para baixo o sol que banha de calor as árvores agora
Fartas de folhagens de um verde soberbo e imperial…

Valda Fogaça, BSB, 01/12/2019.