Poemas de Ana P de Madureira

 
Poemas de Ana P de Madureira
 
 
SEMPRE !
 
o céu ungindo
as asas que se exclamam
no predilecto voo
de brancas palavras abertas
 
e nas mãos o vermelho
exibindo o raiar da vida
latejada nas veias
de um rio sôfrego
por se banhar livre
 
 
***
 
divino o transe
que no meu sangue é vinho
 
e danço na febre da pele
com a fúria nos olhos
suando o chão
explodindo os bagos
que me crescem no ventre
e me molham a fome
 
e desmedida oferto-me-te
no despudor em que nasço
 
néctar embriagado
na embriagante
celebração do urro
vindimado
com os pés da alma
tão nús
com que me tomas
 
requinte da loucura
o que se despe da morte
 
IN, Nos Dedos as Palavras
 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s